quarta-feira, 23 de março de 2011

Who Am I?

video
Casting Crowns - Who Am I?


Alguém dizia que quanto mais o tempo passa, mais a história se repete. Mais se repetem os olhares poucos profundos daquilo que somos e pouco acrescentamos ao nosso conhecimento pessoal, quando na verdade, o que é necessário é olharmo-nos com 'olhos de ver' e percebermos quem somos, deixarmos os olhares limitados e aprofundar a verdade, vermos um ser completo, não uma máscara. Lembro que Deus não ama as máscaras, ama aquilo que cada um é, ama quem Ele próprio sonhou e, por fim, deu forma.
Mas o que é isto de ser um 'verdadeiro eu'? Fará parte do processo negar um 'eu' sem certezas de ser verdadeiro ou não?
Eu questiono se este 'eu' será o meu ou se estarei a viver um outro 'eu' que não me pertence. No entanto, se não me pertence, se não é meu, se não sou eu, todos os meus desejos, aspirações, ideais serão falsos, uma vez que, se este 'eu' não é verdade, eles também não serão verdade em mim...
O mesmo alguém dizia que era como uma maçã podre na fruteira, apodrece tudo o que está à volta. Quando se gera a dúvida, tudo o que a envolve balança. Se o próprio 'eu' balança, então balançam as palavras proferidas, balançam as atitudes, balançam os sentimentos...

"Creio no sol mesmo quando se esconde. Creio no amor quando não o sinto. Creio em Deus quando não o vejo".

E em mim? Acredito no meu 'eu'?

Citando Charles de Foucauld. «Meu Pai, eu me abandono a Ti, faz de mim o que quiseres.» Ensina-me a abrir o coração para deixar de viver meias vidas, instalada em falsas seguranças. Ensina-me a ser fonte de alegria e um rosto resplandecente. Ensina-me a pôr solenidade e riso em cada gesto. Ensina-me a reconhecer-me enquanto pecadora, capaz de reconhecer a necessidade de Ti. Ensina-me a olhar com verdade. Ensina-me a viver na certeza do amor que vem de Ti. Ensina-me a dar graças pela beleza da vida. Ensina-me a ser completa. Ensina-me a viver a partir de Ti. Ensina-me a dar pequenos passos, a travar pequenas lutas que me levem a horizontes mais largos, para que possa ser mais. Dá-me coragem para assumir os meus erros e para me colocar diante de mim. Dá-me, ainda, a coragem de despir-me das máscaras que cobrem o meu coração de pedra. Dá-me a coragem do abandono à Tua vontade. Dá-me a coragem de questionar "Who Am I?", para, assim, procurar respostas orantes. Dá-me coragem para aceitar aquele que é o meu 'eu'.


Sem comentários:

Enviar um comentário