sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

EO 1144

Decidi partilhar, porque foi muito especial :)

«Bom dia Liliana :) "Confia no Senhor! Sê forte e corajoso e confia no Senhor"»

«Até ao próximo postal medita no verbo: ORAR "Oferecerei sacrifícios de louvor no Seu santuário, cantarei e entoarei hinos ao Senhor"»

«CONFIAR "Ainda que um exército me cerque, o meu coração não temerá"»

«Sacrificar "Ama a tua cruz e segue-Me"»

«Olhar "Queres saber de que cor são os sonhos de Deus? Volta a olhar o mundo uma primeira vez"»

«Está na hora de recarregar baterias. Boa noite e sonha com Ele. "Deus é amor. Atreve-te a viver por amor"»

«Bom dia Liliana :) Antes de mais quero destacar um verbo do dia de ontem: CONFIAR. Confia em ti e nos teus dons pois também Deus o faz. Hoje convido-te a meditar sobre os dons do Espírito Santo, fundamentais quando temos por missão dar a conhecer o Seu amor...»

«Sabedoria "Aquele que presta às depressões salutares habita entre os sábios"»

«Ciência Que o teu coração seja audaz para receber o conhecimento e forte para que não negues os ensinamentos do Pai»

«Conselho "É preciso fugir ao mundo"»

«Entendimento "No princípio existia o Verbo; O Verbo estava em Deus; e o Verbo era Deus"»

«Fortaleza "Eu não sou nada e do nada nasci"»

«Piedade "Sou na Tua Igreja, um membro vivo, E dou as mãos aos irmãos, que sentem como eu o prazer de ser um irmão Teu"»

«Boa noite, é quando as coisas correm menos bem que mostramos a nossa força! Eu acredito em ti. "O Senhor é a minha força, ao Senhor o meu canto"»

«Bom dia querida Lili :) Estás quase a descobrir quem sou! Hoje vou dar-te muito que pensar fá-lo com amor e entrega e não mais esquecerás o 1144"»

«Jesus foi crucificado para nos salvar... E tu? Como vais retribuir?»

«Maria consagrou a sua vida ao amor de Deus... Quererás tu ser mensageira desse amor?»

«Deus confiou-nos o Menino que agora nasceu... Saberás fazê-lo crescer no teu coração?»

«Deus confia em ti e convoca os teus dons... E tu? No mais íntimo de ti, acreditas no que vales?»

«A carne é fraca... Julgas, porventura, que és invencível?»

«Deus pede-nos que sejamos QUENTES... ...aceitas o desafio?»

«Diz o povo que: "Deus escreve direito por linhas tortas"... Vais procurar compreendê-lo ou os atalhos satisfazem-te?»

«Estamos a poucas horas do fim do Convívio... ... continuarás a ser instrumento do amor de Deus no 4º dia?»

«VAI P'LO MUNDO MOSTRAR A TUA HERANÇA :)»


Fiquei completamente rendida a estes bilhetinhos que ia recebendo. Parecia mesmo aquelas crianças que quando recebem um presente ficam com os olhos a brilhar e tudo pára para poder disfrutar daquele instante de felicidade, se continuar chegaria a conclusão de uma felicidade falsa. Mas neste caso, não foi. Perguntava, constatemente, e a toda a gente "Alguém tem mais bilhetinhos para mim?" e os meus olhos brilhavam decerto quando os recebia, no entanto, levaram-me à oração e a uma felicidade que foi construída assente na rocha que é Cristo, logo não pode ser uma felicidade falsa. Creio que seja a mais pura das felicidades. Obrigado à minha "Amiga Secreta".

"Confia no Senhor, sê forte e confia no Senhor!", como disse, esta mensagem foi cruzando estes três dias que vivi. Três dias de entradas e saídas, três dias de mimos, três dias de abraços, três dias de "Amo-te", mas também três dias que me puseram "estranhamente" calma e que, quase no fim, me deixaram num nervosismo e com um nó na garganta horríveis, que só apetecia... Exacto! Notou-se, eu sei que se notou... Mas tentei ser mais, tentei que, à Luz do Menino que nasceu, fossemos mais e fossemos, sobretudo, instrumentos do Amor de Deus...

Agora, toda eu, estou feliz e, apesar, do cansaço que já comecei a combater, apetece-me voltar e continuar a aspirar às coisas do alto. Não me apetece voltar ao mundo, ao corrupio da rotina, à corrupção deste silêncio, ao ritmo de ausência de ritmo que, no entanto, me parece ter sido um pouco combatido e ganho um ritmo próprio, ainda que com algumas falhas.

Hoje, apetece-me só amar. Só continuar esta exeriência de amor e levá-la porta fora sempre que saia. Hoje, apetece-me que se faça diferença dentro e fora de mim. Apetece-me, não ser perfeita, mas ser inteira. Apetece-me que aconteça Natal todos os dias :)

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Comer as bolachas dos outros...

Era uma vez uma rapariga que estava à espera do seu vôo, na sala de embarque de um grande aeroporto. Como ela tinha que esperar muitas horas, resolveu comprar um livro para matar o tempo.
Comprou, também, um pacote de bolachas.
Sentou-se numa poltrona, na sala do aeroporto, para que pudesse descansar e ler em paz.
Ao seu lado sentou-se um homem.
Quando ela pegou na primeira bolacha, o homem também pegou numa. Ela sentiu-se indignada, mas não disse nada.
Apenas pensou : "Mas que descaramento! Se eu estivesse mais mal-disposta, dava-lhe um murro num olho para que ele nunca mais se esquecesse !!! "
Mas a cada bolacha que ela pegava, o homem também pegava numa.
Aquilo deixava-a tão indignada e perplexa que nem conseguia reagir.
Quando restava apenas uma bolacha,ela pensou: "Ah, o que será queeste abusador vai fazer agora ?"
Então o homem dividiu a última bolacha ao meio, deixando a outra metade para ela.
Arrr!!! Aquilo era demais!!! Ela estava a bufar de raiva!
Então, pegou no livro e nas suas coisas e dirigiu-se ao local de embarque.
Quando ela se sentou, confortavelmente, numa poltrona já no interior do avião, olhou para dentro da mala para tirar uma caneta, e para sua surpresa, o pacote de bolachas estava lá... ainda intacto, fechadinho!!!
Ela sentiu tanta vergonha!... Só então se apercebeu que a errada era ela, sempre tão distraída! Tinha-se esquecido que as suas bolachas estavam guardadas, dentro da mala...
O homem tinha dividido as bolachas dele sem se sentir indignado, nervoso ou revoltado, enquanto ela tinha ficado transtornadíssima, pensando estar a dividir as dela com ele.
E já não havia mais tempo para se explicar... nem para pedir desculpas!

Quantas vezes, na nossa vida, somos nós que estamos a comer as bolachas dos outros, e não temos a consciência disto? Antes de concluir, observa melhor! Talvez as coisas não sejam exactamente como pensas!
Não penses o que não sabes sobre as pessoas.


Já não é a primeira vez que esta história se cruza comigo. Hoje decidi partilhá-la.
Partilhar, porque o que, hoje, sobressaiu neste texto foi o pormenor "matar o tempo".
O tempo já é tão curto, tão reduzido, que se o andarmos para aí a 'matar', o que é que sobra? Onde fica o pouco tempo que temos, mas que nos esforçamos para que seja de qualidade? Onde ficam todos os momentos que gostaríamos de ter sem esse tempo que tanta falta faz?
Coincidência, ou não, uma vez que, as coincidências, não existem. Hoje foi o dia mais curto do ano e num gesto simples, mas com uma alegria enorme, ouvi uma colega dizer "Wee^^ A partir de agora é sempre a crescer!!" e ocorreu-me que a partir de agora, talvez conseguisse ter tempo para tudo...
Agora foi tempo de partilha. A seguir, tempo de oração. E depois, tempo de descanso, porque apesar de termos a eternidade para descansar, podemos ter a eternidade já aqui :)

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Partilha de hoje...

Maravilhas fez em mim, minh'alma canta de gozo,
Pois na minha pequenez, se detiveram Seus olhos,
E o Santo e Poderoso, espera hoje por meu "sim",
Minha alma canta de gozo, maravilhas fez em mim.

Maravilhas fez em mim, da alma brota meu canto,
O Senhor me amou, mais que aos lírios do campo,
E por Seu Espírito Santo, Ele habita hoje em mim,
Que não pare nunca este canto, maravilhas fez em mim.

E por Seu Espírito Santo, Ele habita hoje em mim,
Que não pare nunca este canto, maravilhas fez em mim.

sábado, 18 de dezembro de 2010

Sagrados 10 minutos

video
5 minutos para rever os 'buracos' da vida e 5 para perceber que houve sempre Alguém a estender a mão :)

Graças Te dou por isso...

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Treinar o Olhar!

Ontem, durante o jantar, alguém dizia qualquer coisa do género:
"-Dantes, ficava debruçado a olhar para as pessoas a passar e é engraçado como a forma de andar das pessoas pode dizer muito acerca delas, da saúde e até do estado de espírito."

Hoje, foi, realmente, um dia para observar, para estar atenta. E eis que no meio de toda a atenção, me cruzei com a insensibilidade.

No 28, ia um sujeito que, pelo aspecto, aparentava ter uns cinquenta e poucos anos. Durante os vinte minutos do percurso, o homem foi dialogando com uma senhora que estava sentada ao seu lado. Começou com a habitual conversa sobre o tempo, dizia que estava muito frio, a senhora dizia que, mesmo dentro de casa, continuava com frio, quando o homem disse que ia dormir dentro de um saco-cama, tapado com um papelão, numa esquina qualquer. Foi aí que começou a contar, resumidamente, a sua história. Tinha quarenta anos, nasceu em Chelas, fora para o Algarve e regressara há três meses porque se divorciou e não conseguia viver 'às custas' de uma mulher. Tinha filhos e a filha mais velha, segundo ele, mais inteligente que o pai, emigrara para Inglaterra com dezoito, dezanove anos e já tinha filhos. Ele 'trabalha', "recolho do lixo, o aproveitável e vendo". Por detrás daquele homem, que pelo aspecto, não aparentava ser sem abrigo, apercebi-me de um 'farrapo', que no entanto, mantinha no tom de voz a esperança de um futuro melhor, mantinha a esperança de encontrar uma assistente social que alguém lhe indicara mesmo depois de passar uma noite ao relento, muito provavelmente, sem jantar e sem companhia...

E eu ia, desconfortavelmente, fria, naquele fim de tarde, cansada e desorientada pelo trânsito, pelo barulho dos carros que apitavam, incessantemente, do lado de fora do vidro e senti-me, obviamente, insensível. Como posso eu pensar que estou mal? Afinal, estou bem. Ainda agora li que "descansar" devia ser uma palavra abulida do nosso dicionário, porque para descansar temos a eternidade. Afinal, não tenho frio, estou quente... E, pior, muitas vezes não sei reconhecer o valor desse calor, nem dou graças por ele...

Pergunto-me, onde será, com quem será, como será que aquele homem irá passar o Natal?